Vive se enganando, dizendo que não ama mais, que superou, que virou passado e todos aqueles papos furados, mas no meio da noite se lembra das mensagens no celular, se lembra daquela música que adoravam ouvir juntos, se angústia, se cala, morre por dentro.
― Michele Valentim (via endles-sdream)

Não me olhes tão fundo, sou abismo profundo, posso te engolir.

H.

Eu sei viver sem você. Sei andar, comer, falar, ver um filme. Sei sorrir e nem é de mentira. Solto gargalhadas e conto piadas e sou rodeado pelos meus amigos o tempo todo. Leio livro, malho, faço amizades. Sou por inteiro sem você. Não existe nenhuma parte faltando, mas eu faço ela faltar. É que eu não preciso de você pra nada, mas quero você pra tudo. Eis o grande problema.
Iolanda Valentim.   (via inverbos)